Desigualdades de gênero e trabalho após a aposentadoria

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33637/2595-847x.2021-70

Palavras-chave:

trajetória laboral e aposentadoria, gênero e mercado de trabalho tardio, precarização do trabalho na velhice

Resumo

O trabalho após a aposentadoria é tema de interesse na literatura científica, com destaque dos benefícios da atividade laboral sobre a saúde e o bem-estar de aposentados. Neste estudo, pretendemos agregar alguns elementos que devem ser levados em consideração nessa discussão, com o objetivo de trazer à tona o debate sobre trabalho após a aposentadoria, ressaltando os efeitos das desigualdades de gênero sobre a reinserção no mercado de trabalho. Essas desigualdades estão presentes durante todo o curso de vida, manifestando-se, de modo particular, no mundo do trabalho. A trajetória no trabalho distingue-se claramente para os homens e para as mulheres. Com frequência, as mulheres se inserem em empregos parciais e interrompem suas atividades no mercado de trabalho, dividindo-se entre a vida doméstica e a vida laboral, o que interfere na construção de sua carreira. Com o envelhecimento, as desigualdades de gênero no trabalho se manifestam mais acirradas, com repercussão no tipo de aposentadoria e na reinserção no mercado de trabalho, sendo geralmente mais precária entre as mulheres. Este ensaio pretende chamar a atenção para a necessidade de proteção para grupos de trabalhadores e de trabalhadoras que envelhecem e querem ou precisam voltar a trabalhar, visando ao bem-estar e à saúde dessa população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Engrácia de Carvalho Chaves, FUNDACENTRO/UDBA

FUNDACENTRO/UDBA, Doutora em Saúde Pública

Estela Maria Leão de Aquino, UFBA

Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal da Bahia, Doutora em Saúde Pública

Downloads

Publicado

2021-04-10

Edição

Seção

Artigos