Da precariedade ao trabalho escravo: retratos contemporâneos luso-brasileiros

Autores

  • Hermes Augusto Costa Universidade de Coimbra, Faculdade de Economia, Centro de Estudos Sociais. Sociólogo. Professor da FEUC e pesquisador do CES. https://orcid.org/0000-0001-7873-4440
  • Eduardo Antonio Resende Homem da Costa Universidade de Coimbra, Faculdade de Economia, Centro de Estudos Sociais. Doutor em Política Social. Pesquisador em pós-doutoramento no CES. https://orcid.org/0000-0002-8454-2047

DOI:

https://doi.org/10.33637/2595-847x.2022-139

Palavras-chave:

precariedade, trabalho escravo contemporâneo, Portugal, Brasil

Resumo

Neste texto presta-se um tributo ao trabalho enquanto valor humano, fator de identidade e integração social e profissional. Além de se reconhecer o seu legado histórico, colocam-se em confronto as tensões entre utopias e realidades do trabalho. Numa análise comparada entre as realidades laborais portuguesa e brasileira, enunciam-se um conjunto de transformações ocorridas nos mercados laborais dos dois países, as quais, tendo como epicentro a precariedade contemporânea, são uma espécie de antecâmara que anuncia o afastamento da dignidade laboral. Consequentemente, são analisadas formas de escravatura contemporâneas nos dois contextos, uma mais situada, no quadro da atividade agrícola em Portugal e outra, no contexto brasileiro, um pouco mais difusa e inscrita no tecido social brasileiro. Conclui-se o texto com a necessidade de adotar urgentes medidas que visem dignificar o trabalho e que dependem da vontade e mobilização de múltiplos protagonistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-08-01

Edição

Seção

Trabalho escravo contemporâneo: faces e interfaces de um problema histórico